NOTÍCIAS

Loading...

REVALIDAÇÃO MEDICA

Loading...

terça-feira, 19 de maio de 2015

MAIS MÉDICOS: Vagas restantes são preenchidas com brasileiros formados no exterior

Ministério da Saúde diz que 387 vagas remanescentes foram completadas.
Vagas para estrangeiros não serão abertas; disse ministro Arthur Chioro.



O Ministério da Saúde preencheu as 387 vagas remanescentes do programa Mais Médicos com profissionais brasileiros formados no exterior, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro, na manhã desta quinta-feira (14) em Brasília. O número representa 100% da demanda atendida, informou.

Todas as 4.139 vagas preenchidas nas três primeiras chamadas de 2015 do programa foram ocupadas por profissionais brasileiros. Com isso, nenhum médico estrangeiro será chamado para integrar o programa, disse Chioro. "Foi um resultado excelente."

No dia 10 de abril, 286 vagas remanescentes foram abertas para médicos brasileiros formados no exterior – o número acabou aumentando para 387 vagas.

Segundo a pasta, os médicos selecionados neste ano atuarão em 1.449 municípios e 34 distritos indígenas. O número representa mais do que o dobro de profissionais brasileiros já inscritos no programa nas cinco etapas anteriores, realizadas desde julho de 2013.

O Mais Médicos tem como objetivo levar médicos brasileiros e estrangeiros a áreas pobres, com deficiência no atendimento e mais remotas do país. A previsão do governo com o programa é chegar a 18.247 médicos em 4.058 municípios, cobrindo 63 milhões de pessoas.

Perfil
Dos 3.752 novos profissionais brasileiros do Mais Médicos formados no país, 68% optaram pelos benefícios do Provab e 32% optaram pelos benefícios do programa. Ao todo, a região Norte vai receber 389 novos médicos; Nordeste, 1807; Sudeste, 1.024; Sul, 523; e a Centro-Oeste, 396.

Eles passarão por período de acolhimento durante três semanas em Brasília – entre 5 e 26 de junho – e depois durante uma semana nos locais escolhidos – de 27 de junho a 3 de julho. A previsão é que comecem a atuar a partir de 6 de julho.

Próximas etapas
Os próximos editais para a reposição de vagas do Mais Médicos em decorrência de desligamentos deverão ser lançados em julho, outubro e janeiro do ano que vem. O ministério ainda não sabe quantas serão abertas. A ordem de adesão seguirá a mesma lógica de editais anteriores, com brasileiros tendo preferência.
O ministro negou que haja insatisfação e muitas desistências entre participantes do programa."Para nós é muito importante criar esse ciclo de reposição porque há saídas naturais.  É muito pequena a taxa se a gente compara a dinâmica de contratação de médicos em qualquer prefeitura. É um programa de muita estabilidade."

Chioro ainda afirmou que espera que os médicos brasileiros se fixem no interior do país com maior regularidade ao longo dos meses. "Sabemos que muitos vão se encontrar na saúde da família."

FONTE: globo.com

quinta-feira, 14 de maio de 2015

MEDICINA: Ministério da Saúde confirma 8 casos de zika vírus no RN e 8 na BA

Doença, assim como a dengue, é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti.
Ministro observa que ela é menos preocupante por ser mais branda.



O Ministério da Saúde confirmou a circulação do zika vírus no Brasil na manhã desta quarta-feira (14). Segundo o ministro Arthur Chioro, 8 amostras provenientes de Camaçari, na Bahia, e 8 do Rio Grande do Norte são efetivamente da doença. Elas foram testadas pelo Instituto Evandro Chagas e pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).
Apesar da entrada do vírus no Brasil e de 1.200 suspeitas sendo investigadas no Nordeste, o ministro disse não haver motivo para preocupação. "O zika vírus não nos preocupa. Trata-se de uma doença benigna que tem uma evolução para cura. A febre é baixa, o maior incômodo é o prurido, manchas vermelhas. Requer muito pouco acesso dos pacientes ao prontos-socorros e serviços médicos. Toda a nossa preocupação é com a dengue, porque dengue mata."

Zika vírus
O zika vírus foi isolado pela primeira vez em 1947 a partir de amostras em macacos Rhesus na floresta Zika, em Uganda. Ele é endêmico no leste e oeste africanos e, no continente americano, foi identificado na Ilha de Páscoa, território chileno, no início de 2014, segundo o ministério.
É uma doença viral que passa sozinha, em geral, após até sete dias. Ela se caracteriza por febre, dores musculares, manchas vermelhas no corpo, inchaço nas extremidades, e dor atrás dos olhos, que também podem ficar vermelhos. A transmissão se dá por meio da picada do mosquito Aedes Aegypti e há um período de incubação de cerca de quatro dias.
O tratamento é baseado no uso de paracetamol para febre e dor. Não há registros de óbitos causados pela doença. Também não há vacinas contra ela. As medidas de prevenção são semelhantes às da dengue e da chikungunya.

MAIS MÉDICOS: Programa Mais Médicos não vai recrutar estrangeiros em 2015


O Mais Médicos não vai recrutar neste ano profissionais cubanos e outros estrangeiros. Todas as vagas do programa Mais Médicos foram preenchidas com profissionais brasileiros, segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro. Nesta última etapa, foram preenchidas 387 vagas. Com os novos números, o Mais Médicos passa a ter 18.240 profissionais. Eles vão trabalhar em 4.058 municípios. Chioro avaliou o resultado como excelente. "Serão 4.139 profissionais formados no Brasil", disse.

É uma grande mudança em relação a edição anterior. Na primeira etapa do programa, dos 14.462 médicos contratados para trabalhar na estratégia, a maioria era formada por mão de obra cubana: 11.429 profissionais. Eles haviam sido recrutados por meio do convênio firmado com a Organização Pan-americana de Saúde (Opas). Outros 1.187 eram de brasileiros ou estrangeiros formados no exterior. Apenas 1.846 eram brasileiros que haviam cursado Medicina no Brasil.

Lançado em 2013, o programa sempre foi duramente criticado pelo recrutamento de profissionais por meio do convênio com a Opas. Os médicos estrangeiros não precisavam fazer a revalidação do diploma.

A estratégia de recorrer a profissionais estrangeiros em parte se deve à reação de médicos brasileiros. Inicialmente contrários ao programa, profissionais organizaram boicotes nas primeiras fases da contratação. Os ânimos, no entanto, foram aos poucos se acalmando.

Neste ano, a receptividade à iniciativa aumentou de forma significativa. A mudança é virtude da combinação de dois fatores: uma melhor costura política e mudanças nas regras do programa. Participantes do Mais Médicos recebem um bônus de 10% nas concorridas provas de residência médica. Para isso, são necessários 12 meses comprovados de participação no programa.

FONTE: estadao.com

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Revalida: Médicos formados no exterior poderão ter que fazer prova para trabalhar no Brasil



Matéria publicada em 30/04/2015 Pela Agência Senado

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou nesta quinta-feira (30) projeto que obriga os médicos formados em universidades estrangeiras a passarem pelo Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos. A prova tem o propósito de avaliar se esses profissionais de medicina têm os mesmos conhecimentos, habilidades e competências exigidas dos médicos graduados no Brasil.

A relatora do PLS 138/2012, senadora Ana Amélia (PP-RS), esclareceu que o Exame de Revalidação de Diplomas, conhecido como Revalida, foi instituído por uma portaria dos ministérios da Educação e da Saúde (nº 278, 17/3/2011). No entanto, segundo Ana Amélia, é importante que essa norma seja prevista em lei.

— Nós estamos criando um marco legal. Já existe uma iniciativa ministerial, mas é uma questão que está abaixo da lei. O que o projeto apresentado pelo ex-senador Paulo Davim faz é ampliar os cuidados em relação aos médicos estrangeiros, explicou Ana Amélia.

O PLS 138/2012 vai ser avaliado agora na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). De acordo com informações do Ministério da Saúde, o programa Mais Médicos conta hoje com 1.846 profissionais brasileiros e 12.616 estrangeiros, dos quais 11.429 cubanos.

FONTE: Agência Senado

terça-feira, 28 de abril de 2015

REVALIDA 2014 PROVA Objetiva e Discursiva


Provas e Gabaritos

2014




quinta-feira, 16 de abril de 2015

MEDICINA: Dupla é presa por falsa revalidação de diplomas estrangeiros no DF

Eles cobravam até R$ 50 mil de graduados brasileiros na Bolívia e Rússia.
Dupla dizia garantir empregos com salário de até R$ 30 mil, afirma polícia.



Dois homens foram presos na noite desta terça-feira (14) no Distrito Federal suspeitos de aplicar golpe para revalidar diplomas de medicina de estudantes brasileiros graduados na Bolívia e na Rússia. A prisão ocorreu em um shopping no Guará . Segundo a polícia, os suspeitos cobravam R$ 50 mil para que o diploma fosse revalidado no Brasil.

De acordo com a polícia, Jurandir de Medeiros Júnior, de 37 anos, que se disse advogado em Caldas Novas (GO), e Jorge Martins Júnior, de 32, que se apresentou como estudante de medicina em São Paulo, usavam documentos falsos em que apareciam como tendo nacionalidade boliviana.

A dupla, que se apresentava como representante da Associação Médica do Mercosul, uma entidade inexistente, e ofereciam um curso falso para a legalização do documento. De acordo com a polícia, eles pediam uma entrada que variava de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil. Os dois ainda diziam ter um convênio com o governo do Distrito Federal, pelo qual ofereciam aos interessados a possibilidade de emprego com salários de até R$ 30 mil mensais, segundo a polícia.

"Como existia esse diferencial da contratação aqui em Brasília, pela necessidade da contratação aqui em Brasília de médicos, acabavam mais pessoas procurando [pela revalidação] e de maneira rápida [a dupla] acabou aplicando o golpe em várias pessoas", disse o delegado Jefferson Lisboa.

Com os dois suspeitos do golpe foram encontrados 27 certificados de brasileiros que estudaram na Bolívia e um na Rússia, R$ 1,5 mil em dinheiro, US$ 1,5 mil e um carro com placa boliviana. Eles responderão por estelionato, uso de documentos falsos e associação criminosa. A soma das penas chega a 15 anos de prisão.

Para revalidar um diploma estrangeiro, o Ministério da Educação (MEC) exije o cumprimento de sete requisitos, entre eles a formação de uma comissão para avaliar a equivalência da grade curricular, duração do curso e bibliografia exigida. A revalidação só pode ser feita por instituição pública de ensino. Todas as regras estão disponíveis no site do MEC.

FONTE: globo.com